making of - Assaltaram o Itajuba

Loading...

segunda-feira, 7 de março de 2011

Dados do Desfile de Carnaval de 2011



ESCOLA DE SAMBA ALEGRIA DO MORRO

Fundada em Fevereiro de 1964

Tema: Encontro de Gerações

Samba Enredo: Com Passos Largos ao Futuro, mas com os Olhos Voltados ao Passado (Lucas/Atos Reis)

Interpretes: Flavio, Leandro e Mauricio

Presidente: Vera Maria

Vice-Presidente: Marta Duarte

Rainha: Elis Brito

Porta Bandeira: Silvia Saraiva

Mestre Sala: Anderson

Porta Estandarte: Daiane

Madrinha da Escola: Mirian Desirê


Rainha da Bateria: Carol Reis e Maria Zilda

Mestre de Bateria: Lucas Duarte

Harmonia: Fernando e Roni

Destaque: Sonia Duarte como Colombina
    A Escola vem com 216 integrantes distribuidas em 10 Alas:
   A Comissão de Frente vem com vem com 12 integrantes, que são os passsaros que simbolizam as gerações, avós, pais e filhos.
   Primeira ala - Pintinhos com 7 bailarinas simbolizam vida nova ao samba que renasce em seus corações;
     Segunda ala - As guerreiras do samba com 18 bailarinas, simbolizam a luta para manter viva a alma do samba
    Todas as bailarinas que participaram nestas alas são integrantes da escola de danças Ana Terra, alunas da professora e coreógrafa Ana Rita V. Santos Jung, e componentes auxiliares no desfile, Geisa Soares, Paula Bertuol Marques, Luciana Altmayer, Márcio Altmayer, Fernanda Nodari e Zenia Soprano Pires.
    O feitio dos figurinos foram feitos pela costureira Eulita Assunção, desenhadas pela prof. Ana Rita onde também desempenhou o papel de confeccionar os adereços usados pelas alunas da Academia.  
      Ala Circular vem  homenageando o ano 1966, ano em que a escola saiu vestida de indio, responsável pelo figurino e alegorias Gabriela Duarte Valim.
      A Ala das Bandeiras traz em seu carro Alegórico o simbolo do Morro que é a formiga, homenagem ao morro da formiga, local onde nasceu a Escola de Samba Alegria do Morro. Este carro conta a história de uma comédia italiana referente ao triângulo amoroso entre Arlequim, Colombina e Pierrô, personagens de estilo teatral conhecido como comédia dellarte, nascido na Italia no século XVI, integrante de uma trama cheia de sátira social.
     Arlequim foi um personagem disseminado no Brasil principalmente no carnaval nordestino e baiano, é malandro brincalhão. Usava sua agilidade na dança e um grande repertório de movimentos acrobáticos, debochado, adorava pregar peças nos outros e depois escapar das confusões criadas, sendo que sua marca registrada era a roupa de losangos.
       Pierrô, seu nome original era Pedrolino, mas foi batizado na França como Pierro, vivia sofrendo muito e suspirando amor a colombina, por isso era vitima das piadas em cena, não era atoa que que sua atitude, sua vestimenta e sua maquiagem influenciaram todos os palhaços de circo do mundo.
     Colombina (representada por Sonia Duarte) representa a colombina de todos os tempos. A Colombina era pivô do triângulo amoroso, de um lado o apaixonado Pierrô, do outro o malandro Arlequim. Para despertar o amor desse último, a romantica serviçal cantava e dançava graciosamente nos espetáculos. Pierrô ama Colombina que ama Arlequim, que por sua vez também a deseja.
     No Brasil existem varias marchas de carnaval e blocos carnavalescos de rua que retratam esses personagens (marchinhas cantadas em nosso salões, como Sociedade Cruzeiro, 09 de Julho, no salão União e principalmente no salão Esperança) onde eram animadas por Jaico, Sabino e seresteiro, sendo homenageados pela Alas das bandeiras neste carnaval, principalmente o Pierrô, sendo responsável pelo figurino e alegorias o Carnavalesco Geografia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário